Postado por Adriana Gomes em 17 de abril de 2014 | Mudança de Carreira

Como encontrar a felicidade no trabalho

Não é impossível conciliar trabalho e felicidade. Separei algumas dicas que podem ajudar

Muitas pessoas, quando crianças, pensam no que querem ser quando crescer. Elas pensam, com prazer, no bem que farão à profissão e como irão impactar todos ao seu redor com felicidade.

Ninguém pensa em trabalho como algo ruim, que suga as energias e que nos faz torcer para o tempo passar rápido até que dê a hora de ir embora.

Não é assim que nos vemos quando somos mais novos. Todos queremos encontrar a realização no trabalho, já que é por lá que vamos passar a maior parte de nossa vida útil.

Mas nós crescemos e, infelizmente a expectativa acaba sendo muito diferente da realidade. Um relatório de 2013 do Gallup revelou uma estatística deprimente: 70% das pessoas estão insatisfeitas ou odeiam o seu trabalho.

A boa notícia é que a vida não tem que ser perfeita para você encontrar a felicidade no trabalho.

Aqui estão algumas maneiras que separei para que você consiga conciliar a felicidade com a o seu trabalho.

É possível ser feliz no trabalho.

#1. Crie um círculo social

Um dos principais indicadores da felicidades é ter um forte círculo social dentro da empresa. É fácil odiar o seu trabalho quando você não conhece os seus colegas, afinal você vai se sentir sozinho.

Quando você quebrar o silêncio e se apresentar para as pessoas, você poderá fazer grandes amizades e tornar a sua rotina de trabalho menos penosa e enfadonha.

Faça um esforço e conheça as pessoas. Chegue a seus colegas de trabalho e tente participar de suas vidas. Você nunca fará a amigos se não iniciar o diálogo.

#2. Procure oportunidades de crescimento

Muitas vezes nos preocupamos em nos proteger do trabalho. Acabamos olhando para o trabalho e para as situações não como oportunidades para crescer, mas como um grande risco de fracassar.

Se você se sentir na defensiva com o seu trabalho, respire fundo e procure por uma oportunidade e por um novo desafio.

Alegre-se com no fato de que você tem um projeto novo para começar.

#3. Ajude as pessoas a resolverem seus problemas

Quando você estiver se sentindo para baixo, existe algo que pode ajudar a levantar o seu humor: ajudar alguém.

Quando você se sentir angustiado com o seu trabalho, ou preso em alguma tarefa, procure alguma pessoa que você possa ajudar e ofereça ajuda.

Além de você poder testar as suas habilidades profissionais, pode ajudar um colega de trabalho a solucionar um problema. Como resultado, você pode aprender coisas novas e participar de projetos importantes.

Ajudar as pessoas pode aumentar sua confiança.

#4. Tenha coragem para fazer perguntas

Se você não sabe alguma coisa sobre o seu trabalho, tenha coragem de perguntar se você pode mexer em alguma coisa.

Se você sentar e esperar alguém mudar a sua situação, vai permanecer assim por muito tempo. As pessoas estão muito ocupadas com seus próprios empregos para se preocupar se você está satisfeito ou não.

Quer ficar longe de um colega de trabalho que você não se dá bem? Pergunte se você pode se mudar para um departamento diferente. Quer trabalhar em um projeto diferente? Pergunte se você pode ajudar com algo novo.

Você certamente vai se surpreender com a facilidade que pode conseguir o que quer, se começar a perguntar mais e dialogar com as pessoas.

#5. Tome medidas que aumentem a sua boa vontade

A maioria de nós fica feliz quando as pessoas nos elogiam. Quando você faz coisas boas à outras pessoas, você cria felicidade para elas e prepara o terreno para receber coisas boas de volta.

Elogios são tão simples que muitas vezes nos esquecemos deles, mas se tornam tão poderosos que nunca devemos nos esquecer de elogiar as pessoas ao nosso redor.

Se você quer ganhar respeito das pessoas, faça elogios sinceros a elas. Se você quer ser elogiado pelas pessoas, comece elogiando. Esse é o primeiro passo para você ser reconhecido.

Felicidade e trabalho combinam

Muitas vezes, odiamos nossos empregos porque nos sentimos presos e sufocados. A chave para solucionar isso é lembrar que sempre temos uma escolha.

Obviamente que precisamos dos nosso salários pra sobreviver. Mas isso não significa que temos que ficar no mesmo emprego pra sempre.

Podemos usar a nossa renda para nos capacitar, usar nosso trabalho para adquirir experiência ou, se for o caso, buscar por novas oportunidades de trabalho que se encaixem às nossas necessidades.

Precisamos entender que estamos no controle da nossa vida e, por isso precisamos tomar algumas decisões. Se tomar decisões for algo difícil para você no momento, não hesite em pedir ajuda para alcançar a sua felicidade.

2 respostas para “Como encontrar a felicidade no trabalho”

  1. Clailton Kitter Ferreira disse:

    Dra. Adriana Gomes
    Eu era Carteiro e amava meu serviço, mas sofria limitações com posturas como:”Parece Supervisor” – isto é, de podação.
    Saiba que no Serviço Público é responsável por 30% do Assédio Moral quando não Sexual. É desanimador lutar pela empresa e não ser reconhecido ou quanto precisar de auxílio, negar ou ser omisso ou conivente com o modo criminoso.
    Estou para arregimentar pessoas para ingressar com uma ação Popular ou Projeto-Lei para que os CCs como o presidente da Empresas Públicas sejam eleitos pelos funcionários. Para acabar com o tipo de Capitanias Hereditárias. A questão que os indivíduos não se envolvem ora por medo ora por comodismo. Só, só e tão-somente falam a ladainha: “O Brasil é jovem; o país mudará”. Quando? A mudança depende de nós. Enquanto vermos Abin que comete crime contra mais alta corte – STF; Polícia assassinado morador de favela pelas costa; doméstica sendo arrastada já morta e não mudar o quadro jamais, jamais o Brasil avançará – jamais!! Precisamos dar a cara à tapa, ser expor para mudar, ou seja, plantarmos a semente.
    E sobre as empresas privadas há uma negligência tanto por parte dos funcionários como dos chefes relativos a prevenção de acidentes. Uns morrem e abafam o acontecimento trágico para não afetar a imagem da empresa. Pensam que prevenção é produto não essencial. Mas o gasto da empresa e INSS ou Governo se torna altíssimo – TODOS! pagamos a conta, TODOS!
    Um abraço,Adriana

  2. Paulo Gastin disse:

    Cara Adriana,
    Gostei muito do que li. Certamente me será útil.
    Continue contribuindo com as pessoas.
    Obrigado/Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *