Postado por Adriana Gomes em 9 de setembro de 2013 | Mercado de Trabalho

Ex-país de jovens

Para gerações que cresceram escutando o slogan “o Brasil é um país de jovens”, aceitar que estamos envelhecendo é certamente um choque. A questão é que essa realidade bate à porta e obviamente afetará o mercado de trabalho e suas relações.

Segundo pesquisa da PWC, em 2040 cerca de 57% da população brasileira em idade ativa será composta por pessoas com mais de 45 anos.

Isso implica, para as empresas, rever políticas de recursos humanos, conceitos e critérios nas áreas de recrutamento, seleção, desenvolvimento, retenção, flexibilização de horários de trabalho, remuneração e benefícios.

Para os indivíduos, as crises de meia idade devem acontecer mais tarde, pois quem chega aos 40 anos tem em média mais quarenta pela frente. Tempo suficiente para rever e até mudar a carreira.

Mas, em função das características do mercado atual, jovens de 28 anos já se consideram velhos, pois reina a crença de que velho, para as organizações, são profissionais em torno dos 40 anos.

Para muitos jovens, a percepção de crescimento fica muito limitada. Isso causa muita frustração, já que se tem a ideia de que lhes resta pouco tempo para chegar às posições de liderança.

Outro fator que impede o avanço de ações relacionadas ao melhor aproveitamento dos seniores é o preconceito contra o idoso. Mas quem é esse idoso hoje? Certamente não são os profissionais ativos na faixa dos 50 e 60 anos.

Segundo a pesquisa, as empresas até reconhecem que esse grupo é melhor em realização de diagnósticos (87%), resolução de problemas (86%) e equilíbrio emocional (96%), além da fidelidade (89%), o que impacta fortemente os índices de rotatividade -um problema sério dos mais jovens.

As companhias precisam rever o modo como lidam com seus profissionais mais experientes, inclusive depois da aposentadoria, dando a eles a oportunidade de continuar contribuindo com a organização, mesmo que em horários flexíveis. Eles podem ser extremamente úteis, por exemplo, para transmitir o conhecimento acumulado ao longo da vida profissional, atuando como mentores dos jovens funcionários.

DivulgaçãoAdriana Gomes é mestre em psicologia social e do trabalho, coordenadora do Núcleo de Estudos e Negócios em Desenvolvimento de Pessoas da ESPM e fundadora do site www.vidaecarreira.com.br. Escreve aos domingos, a cada duas semanas, no caderno ‘Negócios, Empregos e Carreiras’.

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/adrianagomes/2013/09/1334888-ex-pais-de-jovens.shtml

 

2 respostas para “Ex-país de jovens”

  1. Okay, the outfit with the lime green summer pants looks spectacular on Ilona, and the last outfit on Mary is fantastic as well, with the sort of Hmong-looking geometric print at the front opening. the others are also good, but those two are particular standouts.

  2. Hmm it appears like your website ate my first comment (it was extremely long) so I guess I’ll just sum it up what I wrote and say, I’m thoroughly enjoying your blog. I too am an aspiring blog blogger but I’m still new to everything. Do you have any suggestions for beginner blog writers? I’d certainly appreciate it.

Deixe uma resposta para http://www.promotionalcodes.pw/ Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *