Postado por Adriana Gomes em 31 de outubro de 2018 | Desenvolvimento de Competências / Empreendedorismo / Negócio Próprio / Tendências

Empreender por oportunidade ou por necessidade

Adriana Gomes

Em tempos difíceis, como os que estamos atravessando, é comum pensar em mudança de carreira. Apesar das boas notícias, desta semana, a queda no número de desempregados no 2º trimestre. A pesquisa do IBGE mostra que aumentou o número dos que trabalham menos do que gostariam, que saíram da força de trabalho por algum motivo pessoal ou familiar, ou que simplesmente desistiram de procurar alguma ocupação.

Número de “nem nem”, brasileiros que nem trabalham nem procuram emprego atinge 65 milhões é o maior da série histórica. Já o número de trabalhadores com carteira é o menor já registrado. Por outro lado, o Brasil alcançou um novo recorde no número de microempreendedores individuais (MEI) em maio de 2018. Ao longo dos cinco primeiros meses de 2018, os nascimentos de MEIs somaram 876.557.

As faixas etárias que mais optaram por serem microempresários individuais estão em 1º lugar entre 31 e 40 anos, seguida pela faixa entre 41 e 50 anos.


Muita gente, tem optado por sair da informalidade para pagar as contas e a motivação, além da própria sobrevivência, também pode ser a realização pessoal, ou seja, obter maior flexibilidades e autonomia. Identificar, nesse contexto, quais são as suas motivações poderá ajudar a fazer escolhas mais significativas.

É claro que o dinheiro é importante, mas profissionais motivados, que gostam e acreditam naquilo que estão fazendo também demostram mais atitude e determinação, sentem -se mais envolvidos e tendem a superar mais obstáculos. Sabemos que empreender não é para qualquer um, pois exige disciplina, planejamento, organização, capacidade de adaptação. Entendo que boa parte desse empreendedorismo, é por necessidade , mais do que por oportunidade, mas penso que pode ser uma alternativa para identificar algo que faça sentido.

Outro dia, pegando um táxi por aplicativo, conversei com o motorista que está empreendendo em um segmento que ele acredita e está se saindo bem. Não pretende retornar ao mercado de trabalho formal e utiliza o tempo livre para ajudar na capitalização do seu negócio. Trabalha muito, mas está se sentindo energizado pelo resultados que está obtendo. Acredito que com o novo cenário brasileiro para o ano de 2019, o mercado consiga reagir e gerar mais oportunidades de emprego formal, mas ainda haverá uma boa parcela que preferirá permanecer empreendendo.

Fontes:
http://www.portaldoempreendedor.gov.br/estatisticas

https://www.portalt5.com.br/noticias/economia/2018/8/129288-brasil-bate-recorde-em-numero-de-microempreendedores-individuaisongo prazo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *