Postado por Adriana Gomes em 29 de novembro de 2018 | Carreira e Educação / Desenvolvimento de Competências / Gestão de Carreira / Tendências

O FUTURO DO TRABALHO E DAS PROFISSÕES

DESAFIOS QUE NOS ESPERAM PARA AS PRÓXIMAS DÉCADAS

Adriana Gomes

Descobrir ou inventar o futuro, talvez estejamos fazendo as duas coisas. Ontem participei de um Webinar muito interessante sobre o futuro do trabalho e os desafios das próximas décadas discutidos por Lília Porto, fundadora do O Futuro das Coisas, um site dedicado a trazer conteúdo exclusivo em inovação, tecnologia, educação e medicina. Foi muito interessante, pois falar sobre profissões do futuro é sempre temeroso, afinal se as profissões ainda não existem é difícil imaginar alguém escolhendo uma carreira. Segundo os palestrantes haverá grandes mudanças na educação e eu concordo.

Haverá micro certificações ao invés dos modelos atualmente existente nos cursos superiores. Acredito na tendência, que lembra um pouco o filme Matrix, guardada as devidas proporções, é claro, quando os personagens baixavam para seus cérebros conhecimentos específicos quando necessitavam dele. Lembro da cena em que a personagem Trinity precisa pilotar um helicóptero e solicita o envio desse conhecimento que é baixado para ela.

https://www.youtube.com/watch?v=zIjQcwqxiQc

Alguns pontos abordados me chamaram atenção e foram as macro tendências, e a partir delas precisamos pensar sobre os desdobramentos e impactos em nossas vidas práticas. Uma delas, que aliás, comento sempre em nossa coluna é sobre o trabalho significativo, que se hoje já é importante, nesse futuro próximo continuará sendo.


E a Lília comentou:

1. A BUSCA PELO SENTIDO NO TRABALHO: A PwC fez um estudo que aponta que um dos principais desafios das organizações é fazer o alinhamento de propósitos entre a empresa e seus colaboradores. Quanto maior o alinhamento de propósito, maior será a satisfação com o trabalho.

2. A TAXA DE MUDANÇA TECNOLÓGICA e seu impacto sobre os modelos de negócios versus a CURVA DE APRENDIZAGEM das pessoas. Será preciso desenvolver novas skills e tirar proveito das máquinas inteligentes.

3. ENVELHECIMENTO DA POPULAÇÃO / URBANIZAÇÃO / MOBILIDADE GEOGRÁFICA, tudo isso gera pressão sobre os empregos: que estruturas organizacionais e sociais serão necessárias para ajudar as pessoas a se adaptarem e prosperarem, à medida que empregos evoluem e exigem novas habilidades?

4. DESESTRUTURAÇÃO DAS CARREIRAS: Pesquisa da Deloitte, descobriu que 65% das empresas (no mundo) já apresentam modelos de carreira abertos e flexíveis. Isso muda completamente a forma de planejar sua carreira. Ser bem-sucedido deixa de ser sinônimo de ganhar posições hierárquicas. A era da criatividade destrutiva tende a recompensar as organizações que substituem as hierarquias rígidas por redes de equipes mais ágeis e empoderadas.

5. Para as EMPRESAS, um dos principais desafios é que precisarão pensar menos em tecnologia para eliminar trabalhos específicos e pensar mais em termos de redesenho de tarefas e processos. Os executivos também precisam saber como preparar seus colaboradores para trabalhar ao lado das novas tecnologias e adquirir novas habilidades.

Fica a dica. O futuro das coisas no instagram.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *