Postado por Adriana Gomes em 13 de dezembro de 2018 | Carreira e Educação / Entrevista de Trabalho / Mercado de Trabalho / Tendências

Indicação influencia

Por Adriana Gomes

48% dos profissionais conseguem entrevista com candidatura online, mas indicação ainda influencia na hora de receber proposta

• Foram considerados 27.846 relatos de processos seletivos na plataforma LoveMondays no último ano
• Maior percentual de aprovação veio de quem obteve entrevista por indicação
• Entrevistas obtidas por meio de recrutadores foram as com maior percentual de rejeição por parte dos candidatos

O estágio é um dos primeiros contatos do jovem com o mercado de trabalho e, por isso, é tão importante que ele tenha uma experiência positiva e consiga o máximo de informação possível sobre os processos. A entrevista de emprego é um momento de tensão para muitos profissionais. É nesta hora, frente a frente com o recrutador, que o desempenho do candidato pode ser determinante para evoluir no processo seletivo.

Levantamento realizado pela Love Mondays, levou em consideração 27.846 relatos de processos seletivos publicados na plataforma Brasil nos últimos 12 meses e descobriu que a candidatura online foi a que mais levou candidatos para processos seletivos de empresas, com um total de 48,03% dos participantes.

O segundo maior responsável por candidaturas foram as indicações, com 18,84% dos participantes, seguidas por agência de recrutamento (13,99%), e recrutadores (6,52%).

O maior índice de sucesso, no entanto, veio das indicações. Sempre comentamos aqui na coluna, quanto os relacionamentos e network é importante na vida profissional. O resultado das indicações, ou seja, de deixar pessoas que te conhecem saber dos seus objetivos, interesses e experiência resulta no índice se sucesso de 72,49%. Apenas 5,57% das pessoas indicadas não conseguiram colocação.

A candidatura online foi a que teve menor índice de aprovados, com 43,21% dos participantes tendo recebido e aceitado uma oferta.

Já o maior índice de rejeição por parte dos candidatos – ou seja, o maior número de pessoas que receberam uma oferta de trabalho, mas a recusaram – veio daqueles oriundos de recrutadores, com 7,93%, seguido pela candidatura online (6,59%), agência de recrutamento (6,06%).

O levantamento

PERGUNTAS MAIS COMUNS
Se o primeiro desafio é gerar a entrevista o segundo maior desafio é atravessar o processo de seleção que incluem as entrevistas. O Love Mondays também fez um levantamento sobre as perguntas mais comuns e as mais estranhas e curiosas relatadas pelos usuários do site. Vejam a seguir.

Confira abaixo as 10 perguntas mais comuns em entrevistas de emprego:

1. Porque você quer trabalhar nesta empresa?
2. Conte um pouco da sua experiência.
3. Quais são suas principais qualidades?
4. Quais são seus principais defeitos?
5. Quais são os seus objetivos na empresa?
6. Qual a sua formação?
7. Por qual motivo você acha que devo te contratar?
8. Você gosta de trabalhar em equipe?
9. Como você lida com pressão?
10. Qual sua expectativa de carreira em cinco anos?

PERGUNTAS CURIOSAS

“Apesar de parecerem curiosas, a maior parte destas perguntas serve para avaliar o raciocínio lógico e a agilidade para pensar dos candidatos”, explica Luciana Caletti, CEO e co-fundadora do Love Mondays.

Foram consideradas 7717 perguntas feitas em mais de 4 mil entrevistas publicadas para 1100 empresas. Confira abaixo exemplos de perguntas curiosas que você pode ouvir na sua próxima entrevista:

1. Quantas janelas há em Pinheiros?
2. O que motivou o suicídio de Getúlio Vargas?
3. Quantas pessoas estarão assistindo Netflix na noite do dia dos namorados na Grande São Paulo?
4. Conte um sonho bem estranho que você já teve.
5. Se tivesse que explodir um país da Europa, qual seria?
6. Conte uma mania esquisita que você tenha.
7. Quantas bolinhas de golfe estão em pleno voo nesse exato momento no mundo?
8. Conte uma coisa que você jamais diria em uma entrevista.
9. Em qual música você daria o play neste momento?
10. Você consegue lidar bem com a morte?
11. Com quantos paus se faz uma canoa?
12. Como você tiraria uma agulha do palheiro?
13. Como você venderia um relógio sem bateria?
14. O que essa caneta pode fazer pela sua carreira?
15. Qual é o seu signo?
16. Se você fosse um remédio. Qual seria?
17. Qual o seu time de futebol?

Assim, é importante pesquisar a empresa, conversar com pessoas e cuidar dos relacionamentos. 2019 será um ano desafiador.

Ouça aqui o PodCast sobre o tema da Coluna Carreira em Foco da Radio Bandeirantes:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *