Postado por Adriana Gomes em 28 de julho de 2016 | Artigos

Golpe do emprego

Que tal um emprego dos sonhos pra viagem? Cuidado! Você pode estar caindo no golpe do emprego

O tema, infelizmente não é novo. Mas em tempos de emprego difícil, os oportunistas de plantão enxergam o momento como oportuno para capitalizar em cima da fragilidade, insegurança e desinformação dos incautos.

Ontem um desses golpes veio a público.

Mas são muitos oportunistas disfarçados. São várias as iscas para a armadilha: a de ontem era dirigida a porteiros, mas há em todos os níveis.

São falsos anúncios de vagas em multinacionais, geralmente entre as maiores e melhores para se trabalhar. Para posições no exterior.

Geralmente com perfil confidencial; empresas capturam currículos cadastrados em sites especializados e abordam os candidatos, alegando possuírem uma vaga para o seu perfil, com essa abordagem agendam entrevista.

Seja qual for a isca, o objetivo é o mesmo: fazer o candidato acreditar que tal serviço de consultoria, contratado por uma empresa, está recrutando profissionais no mercado.

Atenção: empresas sérias de recrutamento e seleção não cobram taxas pelos serviços do candidato. Esses custos são da empresa contratante. Fuja, sem receio de empresas que façam essa abordagem.

Algumas empresas são bem agressivas em suas abordagens, colocando pessoas bem treinadas para aplicação do golpe.

Desconfie quando tudo precisa ser resolvido, na hora. Quando é pressionado para “pegar ou largar”.

Muitas empresas vendem vagas em troca de um suposto serviço de consultoria de serviços de carreira. O passaporte para o emprego perfeito não é mais o seu currículo. É o seu cartão de crédito.

Nunca pague pelo emprego

Conselhos úteis: saiba o que fazer para não ser vítima:

  • Desconfie de promessas mirabolantes, salários tentadores;
  • Sempre fique atento ao golpe do falso emprego;
  • Nunca pague por uma vaga. A natureza dessas empresas não é garantir o emprego, mas vender serviços;
  • Antes de assinar qualquer documento, verifique se existem reclamações nos órgãos de defesa do consumidor;
  • Nunca assine um contrato que não contemple a promessa feita verbalmente. Leve o documento para um advogado analisar;
  • Previna-se. Guarde os anúncios da empresa.

Antes de fechar um contrato com qualquer empresas prestadora de serviços e/ou produtos faça uma consulta direta ao Procon, Delegacia de Crimes Contra a Economia e Proteção do Consumidor (Delcon) e Ministério Público Estadual.

A internet também é uma forma de evitar problemas futuros. Consultar o nome da empresa em sites de busca pode ser um alerta antes de ir a consultoria.

Em caso de dúvidas, consulte o código de defesa ao consumidor no site do Ministério da Justiça. Visite também o ReclameAqui.

Sempre que houver um processo em andamento em algumas destas instituições e o consumidor se dirigir a uma delas questionando o estabelecimento pelo nome, estes tem a permissão legal para informar o consumidor sobre a existência de um processo em andamento.

Tenho visto também contratos de trabalhos leoninos que confiscam grande parte da remuneração prometida e outros absurdos e abusos em relação à busca de emprego.

Muito cuidado!

Fontes e sugestão de leitura:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *