Postado por Adriana Gomes em 4 de junho de 2013 | Artigos

Gestor social

DE SÃO PAULO

Quando estruturas básicas da sociedade, como família e escola, falham, não sobra alternativa que não a empresa para funcionar como agente socializador. Uma pena, entretanto, que sejam poucos os gestores que são conscientes do importante papel que podem exercer como agentes de transformação social.

Um emprego ou estágio não é só uma atividade em si: é a oportunidade de autoconhecimento, desenvolvimento, relacionamento, aprendizado e descobertas. Gestores que exercem o papel socializador e estimulam a curiosidade, a busca pelo aprendizado, as descobertas do mundo e todos os desafios que essas ações podem gerar, estão, sem dúvida, contribuindo para a melhoria da sociedade.

Contudo, me parece que cada vez mais essa perspectiva não é percebida. Não são necessárias ações grandiosas, faraônicas e midiáticas para fazer a diferença na vida das pessoas.
Costumo dizer aos meus alunos: mais do que perseguirem a ambição de serem líderes, seria muito bom se eles conseguissem ser excelentes gestores em suas áreas de atuação. O mundo já seria melhor.

As empresas, por meio de seus líderes, podem, sim, fazer a diferença na vida de seus colaboradores, sejam eles jovens aprendizes, estagiários, trainees ou de qualquer outro cargo na hierarquia da empresa.

As primeiras experiências profissionais serão marcantes na vida futura desses jovens.

Aprendemos muito por observação: atos dizem mais do que palavras. Assim, comportamentos éticos, coerência entre o que se diz e o que se pratica, estimulo e incentivo para o aprendizado e reconhecimento das conquistas e melhorias podem fazer toda a diferença.

Alguns modelos aprendidos nas primeiras experiências profissionais serão a base de comportamentos futuros, para o bem ou para o mal. Assim, gestores, muitas das mudanças desejadas na sociedade podem estar nas suas mãos.

Incentive, valorize, respeite e reconheça as pessoas da sua equipe. Essa responsabilidade não deve ser terceirizada. O seu papel é fundamental para que as transformações aconteçam.

DivulgaçãoAdriana Gomes é mestre em psicologia social e do trabalho, coordenadora do Núcleo de Estudos e Negócios em Desenvolvimento de Pessoas da ESPM e fundadora do site www.vidaecarreira.com.br. Escreve aos domingos, a cada duas semanas, no caderno ‘Negócios, Empregos e Carreiras’.

 

http://www1.folha.uol.com.br/colunas/adrianagomes/2013/05/1284656-gestor-social.shtml

 

Uma resposta para “Gestor social”

  1. Nilza Nishimura disse:

    Me chamou atenção estou.pensando em estudar estou entre dois cursos gestão hambiental e gestão social o hambiental estou algum tempo com esta ideia
    Gestor social é mais voltado as pessoas e tudo haver com a sociedade num todo começando pela família a pequena célula social o inicio da vida do indivíduo a importância o berço do ser humano .Quero estudar para conhecimento e trabalho não penso em carreira .
    Talvez eu não tenha tanto tempo de ir tao longe estou na terceira idade .Já passei da juventude para pensar carreira no trabalho.Mas o estudo quero fazer conhecimento cultural é riqueza ninguém rouba da gente
    Preenche a alma
    Enriquece o âmago do ser
    Enobroce a vida humana
    O estudo é um polimento no espirito
    Na vida deste que se integra a cultura e sabedoria
    Em tua vida reflete o projetado brilho do saber

Deixe uma resposta para Nilza Nishimura Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *